Gratidão por tudo, 2016!

Vamos nos permitir

A Wishlist dos Sonhos

Como eu estudo inglês?

Mudanças do blog

    Resenha do livro Menina Má

    <img src=“http://www.janeladesorrisos.com/meninama” title=“Livro Menina Ma” alt=“Menina Má é um terror psicológico publicado em abril de 1954 e escrito por William March. O livro é, com certeza, um marco para o gênero.>

    Menina Má é um terror psicológico publicado originalmente em abril de 1954 e escrito por William March. O livro é, com certeza, um marco quando falamos de histórias envolvendo crianças psicopatas, servindo de inspiração para outras obras tão conhecidas, tais como Chuck e Anebelle. A obra fez grande sucesso e também ganhou uma peça teatral e um filme. A edição lançada no ano passado pela DarkSide Books está maravilhosa, com capa dura, páginas amareladas e excelentes ilustrações. Na trama em questão, somos apresentados à Rhoda Penmark, uma menininha peculiar, mas que encanta a todos por seu carisma e modos tão maduros e diferentes das crianças de sua idade. Enquanto as demais estão preocupadas com brincadeiras, birras e aproveitar a infância, ela acha isso tudo muito entediante e sabe se portar, principalmente, perante pessoas mais velhas.

    Isso cria um fascínio nos demais personagens e eles realmente se apegam à criança, exceto Leroy que tem suas desconfianças acerca dela. Como pode Rhoda ser tão madura para uma criança de oito anos? Por que as demais também não o são? Mesmo assim, ela não consegue ficar muito tempo em uma escola. Sempre acontece algo que faz com as diretoras a expulsem, pois sabem que existe algo errado com ela, mesmo que não tenham certeza do que é. A narrativa do livro nos deixa curiosos em descobrir o que há de errado com a garota, e o que realmente me fez gostar da história foi justamente esse ponto: qual a linha da maldade? Pode, uma criança, agir de forma tão fria assim? Quem plantou essa semente? Ela herdou isso?

    <img src=“http://www.janeladesorrisos.com/meninama” title=“Livro Menina Ma” alt=“Menina Má é um terror psicológico publicado em abril de 1954 e escrito por William March. O livro é, com certeza, um marco para o gênero.>

    A narrativa de Menina Má não cansa e conforme avança a leitura somos apresentados a acontecimentos que deixam a vontade de descobrir mais sobre a história. Principalmente pois, Rhoda aos poucos, vai deixando desconfianças para sua mãe. Christine então, é levada ao poder da dúvida, de tentar descobrir o que se passa com sua filha e para isso, ela fará também descobertas sombrias sobre o seu passado. Essas descobertas dão um toque de suspense ao livro, fazendo com que o leitor devore cada página e se envolva cada vez mais.

    O livro se tornou um dos meus favoritos, pela facilidade de envolvimento com a trama e como o autor tratou a protagonista em questão, com uma frieza e poder sem igual. E de como retomou o meu interesse por histórias semelhantes, fazendo com que eu pesquisasse mais sobre isso. Uma trama envolvente, de acontecimentos violentos, mas assustadoramente boa. Criou a semente da dúvida, o questionamento de qual a medida da maldade, como existem pessoas, principalmente crianças assim? Recomendo fortemente a leitura de Menina Má, para os amantes e simpatizantes de histórias do gênero.

    ”Será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar na mais adorável das crianças?”

    Título: Menina Má
    Autor: William March
    Editora: Darkside Books
    Gênero: Terror
    Páginas: 272
    Ano: 2016

  • Gratidão por tudo, 2016!

    Esse ano foi especial, pois eu finalmente voltei para algo que sempre me faz bem, o blog. E eu tenho uma imensa gratidão por isso. Eu amo escrever...

  • Fiz a minha primeira tatuagem

    Eu sei que estou em dívida com o blog, mas vocês não imaginam o quão corrido foi esse final de semestre, em todos os sentidos possíveis: estudos e...

  • Vamos nos permitir

    A gente precisa se permitir. Quantas vezes não deixamos a felicidade escorregar por entre os dedos, por medo de arriscar? Por medo de se permitir aproveitar cada instante,...