Janela de Sorrisos

Como sair de um emprego tóxico melhorou minha vida

emprego-toxicoQuem me vê sempre falando bem do meu emprego atual, do quanto sou feliz trabalhando lá e me sinto bem naquele ambiente, talvez não imagina que eu já passei pela experiência de trabalhar em um emprego tóxico.  Mas como eu sei o que é um emprego tóxico? São aqueles em que te sugam a alma, sugam sua disposição, seu jeito de ser e não te trazem coisas boas em troca. Veja bem, não estou dizendo que você deve sair agora do seu emprego tóxico, até porque a situação do desemprego no país não está em sua melhor fase. Cada um sabe das suas necessidades e do seu limite. Aqui, retratarei apenas como sair desse lugar mudou completamente a minha vida – e para melhor.

Final de 2013 e eu me vi sem emprego, então fiquei muito feliz quando consegui uma nova oportunidade. No começo fui tudo maravilhoso, mas com o passar dos meses eu percebi que os meus colegas de trabalho eram tratados de forma muitas vezes grotesca e comecei a me perguntar se eu não poderia ser a próxima. E fui. Veja bem, não é querer uma estrela por cada tarefa realizada de maneira correta, longe disso. É só receber o devido reconhecimento – e não um tratamento que afete sua autoestima e psicológico, refletindo então em sua saúde física.

Eu tive vários problemas de tensão muscular e principalmente desenvolvi gastrite, tendo que fazer tratamento. Quando eu percebi que estava afetando a minha saúde, comecei a ficar mais alerta e me perguntar ‘’será que vale à pena continuar?’’ Até esse questionamento chegar eu já estava há um ano trabalhando nesse local. Eu não percebi, mas tinha mudado muito. Perdido um pouco da minha alegria, do meu jeito divertido de ser, porque eu tinha medo e tinha pavor de quando chegava o domingo à noite. Sim, eu cheguei a chorar várias vezes só de lembrar que tinha que voltar para aquele lugar no dia seguinte.

E então eu comecei a procurar algo melhor. Não, não foi fácil sair de lá e eu não caí logo de cara no meu emprego atual. O que eu sei é que agora eu estou num lugar que me deixa bem. E que não faz diferença se é sexta-feira ou domingo à noite, eu não tenho mais pavor de lembrar que preciso ir para o meu local de trabalho. A mudança foi perceptível, até meus amigos notaram. E sabe o que mais? Muitas portas se abriram depois que eu saí de lá. Como se toda a energia negativa daquele lugar estivesse afetando não só minha saúde física e mental, mas também impossibilitando que eu atraísse coisas bacanas para a minha vida.

É muito difícil dizer que todos que estão passando por isso devem sair agora mesmo de seus empregos, porque como já mencionei, cada um sabe de suas necessidades. Mas a lição que eu quero deixar é que, mesmo que eu ganhasse relativamente bem naquele lugar, dinheiro nenhum pagava o meu bem-estar físico e psicológico. Eu fiquei um ano e quatro meses lá. Levei experiência profissional, obviamente – já comentei aqui que eu tento tirar algo bom, mesmo das situações difíceis – mas sou infinitamente mais feliz agora. E eu espero que se você passa pela situação de estar em um emprego tóxico consiga encontrar um caminho para seguir feliz novamente.

Como adquiri o hábito de fazer exercícios 5 vezes na semana?
Você bagunçou algumas certezas
Eu conheci: Curitiba e Morretes
24 comentários
  • Aline Callai

    Super me identifiquei e adorei o texto! Estou passando por isso atualmente – estava num emprego que era de cair os cabelos, literalmente, eu estava num ponto de stress que eu estava ficando careca :/ Foi aí que eu percebi que estava na hora de sair e estou super feliz, parece que tirei um peso enorme dos ombros!
    É muito legal trabalhar num ambiente bom e motivador <3
    Beijos
    http://www.nomundodaluablog.com/

    Responder
    • Thais

      Engraçado como isso é corriqueiro, não é? E o pior: como somos moldados a achar que isso é normal. Eu também percebi que era hora de sair só quando começou a afetar minha saúde física, antes disso achei que estava sendo "fresca", porque afinal, eu tinha um emprego e não podia reclamar disso.
      Fico muito feliz que você conseguiu sair de lá, e que mudou sua vida pra melhor também! <3

      Um beijo!

      Responder
  • Bruna WB

    Infelizmente eu te entendo, Thais. Passei por uma situação bem complicada também em um trabalho antigo. Ouvia muita coisa, via outras e passei os últimos meses nele chegando em casa e desabando. Não conseguia fazer mais nada e acabei saindo sem nem ter outro emprego ainda. No fim tudo deu certo, ainda bem. Fico muito feliz por saber que hoje você está melhor e num ambiente que te deixa bem. Impressionante a diferença, né? E mais ou menos como você disse, eu também concordo com essa relação com o salário – não é só esse dado que devemos levar em conta, então, enquanto tivermos condições de buscar o melhor, é por aí que devemos ir. 🙂
    Beijos!

    Responder
    • Thais

      Bruna, é impressionante como quase todas as pessoas tem histórias de trabalhos tóxicos, não é? Eu não larguei sem nada em vista, mas acabou dando errado e um mês depois consegui o meu atual, que estou até hoje (um ano e sete meses). Sou tão mais feliz aqui! Minha saúde física melhorou tanto ao ponto de eu nunca mais ter passado mal do estômago, ou ter ido pro hospital. Veja a diferença!

      Um beijo!

      Responder
  • Talita

    Super te entendo! trabalhei por CINCO anos em um lugar que só me deixava estressada e eu vivia em médico por isso, mas como meus pais ficaram desempregados eu era a única que estava trabalhando precisa continuar, dps que meus pais conseguiram emprego, eu procurei em outros lugares e nada, não poderia simplesmente sair porque tinha faculdade pra terminar, enfim, engoli muita coisa por necessidade.

    quando terminei a faculdade (foi 2 anos), eu pedi a conta, hoje trabalho por conta própria e concordo que vc falou, nada paga o nosso bem estar. <3

    Beijoss

    Tali
    CEREJA ROCKS

    Responder
    • Thais

      Nossa Talita, que barra pesada. 🙁 Eu imagino o quanto isso tenha afetado a tua saúde… Porque na época que eu estava nesse emprego, vivia em hospitais e muito mal. Infelizmente nem sempre a vida é legal nessa parte e assim como você fez, as pessoas precisam engolir sapos temporariamente por conta de necessidades financeiras. Mas eu fico muito feliz que você conseguiu acabar com isso e ainda trabalha por conta própria, com uma lojinha maravilhoooooosa! As coisas só melhoram depois que a gente quebra um ciclo tóxico.

      Um beijo! <3

      Responder
  • Paola

    Me identifiquei tanto! E atualmente esse é o meu medo, pq eu vou me formar agr e quero achar um emprego, mas com a situação atual do pais, me enxergo pegando qualquer coisa para trabalhar. Mas e se o meu emprego for tóxico, eu continuo nele ou saio e fico desempregada? Eu tb ja tive um emprego tóxico e espero muito não ter outro novamente… tb não desejo isso a ngm 🙁

    Negavaidosa.com.br

    Responder
    • Thais

      Oi, Paola! Prazer te ver por aqui, seja bem-vinda! Eu te entendo, viu? A resposta pra sua dúvida infelizmente eu não tenho, porque como eu disse, cada um sabe das suas necessidades. Eu gostaria de ter saído bem antes desse emprego tóxico, mas só consegui sair quando consegui outra oportunidade. O problema é que a saúde fica desgastada… De qualquer modo, torço para que você encontre um emprego num ambiente bacana!

      Um beijo e volte sempre 🙂

      Responder
  • VANESSA BRUNT

    Thai, você é simplesmente sensacional! Quantas reflexões e entrelinhas críticas intensas e fundamentais! Muitas vezes acabamos deixamos portas incríveis fechadas e, assim, perdemos grandes chances, apenas por acharmos que nada melhor surgirá ou que "aquela é a melhor empresa, mesmo sendo terrível no lado humano" e por aí vai. Não é assim que funciona. De fato, nada é perfeito, e isso é básico, mas existe uma diferença entre o que tenta evoluir e nos faz também sentir melhorias e o que somente nos puxa para baixo, afetando os outros âmbitos das nossas vidas. Isso acaba servindo como metáfora para quaisquer tipos de relacionamentos, seja para um trabalho, para um namoro, para algum quesito familiar ou afins. Fico muito alegre por saber que você teve coragem e fechou um portão para abrir tantas janelas. É claro que o risco calculado é fundamental, não dá para simplesmente abandonar algo sem tentar organizar consequências e sem ter utilizado da básica frase "desista aos poucos para dar tempo de não desistir"; mas se fica claro que aquilo dá mais zunido do que paz, ainda que indo aos poucos e organizando o 'como será depois', é importante essa desconexão. Você fez um balanceamento singular e importantíssimo e sempre fico com o coração sorrindo por conhecer mais dos seus pulsares. Obrigada por mais essa lindeza!

    http://www.semquases.com

    Responder
    • Thais

      Linda! Adoro te ver por aqui, sempre melhora meu dia.
      Exatamente. Às vezes a gente fica presa, por salário, por pensar que não acharemos nada melhor ou até mesmo pelo medo do novo. Isso sem falar nas necessidades financeiras, não é? Eu fico tão feliz de ter conseguido quebrar esse ciclo tóxico da minha vida, você não faz ideia. E mais feliz ainda de poder desabafar aqui e me identificar com meus leitores.

      Obrigada pela visita! <3

      Responder
  • Dai Castro

    Consigo te compreender completamente, me sentia muito mal no meu antigo emprego, pela falta de perspectiva de crescimento e por não estar fazendo algo que gostava. O corpo acaba falando também né? Cheguei a ter sintomas físico dessa tensão psicológica em uma crise de urticária (fiquei toda vermelha e tive que parar no médico). É comum a gente pensar que nada melhor nos espera, mas temos que tentar enxergar além e agarrar as boas oportunidades a nossa volta! Beijos!:)

    Responder
    • Thais

      Oi, Dai! Isso mesmo. Quando o emocional não vai bem, é o corpo que acaba também nos dando alertas. Eu no caso tinha crises horríveis de gastrite e vivia no hospital. Depois que saí de lá, nunca mais precisei passar um dia em pronto socorro. Veja só! Que bom que a gente consegue sair dessas relações tóxicas, e que boas coisas sempre estão aí, só esperando para ser conquistadas!

      Um beijo! 🙂

      Responder
  • Ruana

    Tenho 15 anos e a maior vontade de trabalhar, mas estou esperando, não vale a pena ter um emprego "toxico" só para dizer que tem. Nosso bem estar vale mais do que qualquer dinheiro.
    Seu blog é lindo ^^
    Seguindo aqui.

    Beijos, Ru.

    Responder
    • Thais

      Oi, Ru! Eu comecei a fazer estágio com 17, antes de terminar o ensino médio e adorava, a gente amadurece muito trabalhando. Infelizmente não temos como saber se o emprego será tóxico, mas na sua idade eu daria preferência (se essa for sua realidade financeira) a só estudar mesmo. E quando você for para o mercado de trabalho, espero que encontre um emprego bacana. 🙂

      Um beijo e volte sempre, viu?

      Responder
  • Clayci

    Dinheiro nenhum paga por nossa saúde mental.
    Eu já sai de um ambiente assim e foi a melhor coisa que eu fiz.
    Fui julgada pela família, amigos… mas só eu sei o que eu sentia quando chegava em casa e colocava a cabeça no travesseiro.
    Amei o seu desabafo
    E ESTAMOS JUNTAS

    Responder
    • Thais

      Eu fui julgada por algumas pessoas também, porque pagava relativamente bem. Porém os mais próximos entenderam e ficaram do meu lado, principalmente meus pais. Mas no fim, só a gente sabe a sensação, não é? Arrepio só de lembrar dessa época! 🙁

      Estamos juntas, Clay! E que bom que quebramos esse ciclo tóxico. <3

      Responder
  • Bela

    Eu passei 3 anos na mesma empresa e nos últimos seis meses me tranferiram param outra sede, com pessoas que eu não conhecia e que começaram a estragar o meu dia, impondo metas impossíveis e tirando os estímulos (as comissões). Eu tinha crise de asma só de pensar em ir pra lá. E te entendo.
    Em 2014 eu entrei pra trabalhar na Loja Daiso Japan e mesmo com o clima todo fofo e os melhores seres trabalhando lá, o clima era muito tenso por causa do jeito japonês de lidar com empregados. Saí de lá chorando D:
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    Responder
    • Thais

      Esses empregos tóxicos refletem instantemente na nossa saúde, não é? Não deveríamos passar por isso, mas são coisas que acontecem. Espero que agora você esteja melhor! <3

      Responder
  • Entre Anas

    E o mesmo vale para pessoas tóxicas né?
    Eu me sentia assim no meu segundo estágio e, como eu podia tomar essa atitude, sai sem ter algo planejado, mas eu sei que não é todo mundo que pode fazer isso!
    Fico feliz que hoje você esteja em um lugar que te faça bem ♥
    Seu texto me lembrou algo que eu coloco MUITO na minha cabeça: você NÃO é o seu trabalho! Então, NÃO, não vale a pena se matar, ficar doente, ser humilhada, assediada, por um salário no fim do mês. Nossa saúde mental importa – e muito!

    Responder
    • Thais

      Sim, o mesmo vale para pessoas tóxicas, Lu! Infelizmente não é todo mundo que pode tomar essa atitude mesmo, mas quando podemos é muito importante levar em consideração nossa saúde em primeiro lugar. Eu também estou muito feliz! <3
      Eu também gosto desse mantra. Mesmo estando feliz onde trabalho, sei que ele não é a única coisa que me define. Sou muuuito além disso.

      Um beijo e desculpe a demora em responder!

      Responder
  • Elô Rodrigues

    É muito bom se libertar de algo que não te faz bem né? Fico muito feliz por você hoje estar num lugar diferente, mesmo de longe consigo perceber que você é feliz com seu atual trabalho! Eu amo trabalhar onde trabalho, já tive momentos em que quis sair de lá, mas não por ser tóxico e sim porque eu estava em momentos difíceis. Graças a Deus consegui me acertar comigo mesma e hoje sou feliz demais por fazer parte daquela equipe! Com toda certeza um trabalho bom ou mau, afeta sim em todas as outras coisas da nossa vida, e tudo que temos de bom, atrai mais coisas boas, então desejo a nós que continuemos felizes em nossos trabalhos! <3

    Responder
  • Amanda

    Eu senti na pele isso a pouco. E não desejo a ninguém.
    Eu estava em um trabalho super tóxico, onde eu já não suportava levantar da cama para ir trabalhar. Já estava em busca de um novo emprego já fazia um tempo. E, finalmente, consegui! Até quando me ligaram, eu não acreditava que tinha conseguido e que eu poderia sair daquele meu emprego.
    Pedir demissão foi algo libertador. Mas ainda sim, me restaram algumas marcas: antes, eu raramente tinha dores de estômago e isso passou a ser constante durante os 8 meses que fiquei por lá e ainda sim, passo por isso.

    Responder
  • Chelton Macucule

    Estou em uma empresa a dois meses. Na hora da entrevista falaram tudo bonito tal como eu queria, mas estando cá dentro vejo tudo diferente, me sinto preso, vejo como meus colegas são tratados e tenho a certeza que dentro em breve serei tratado do mesmo jeito.
    O melhor que tenho a fazer e pedir demissão e voltar ao meu empreendimento, antes que acabe deprimido.

    Responder