Janela de Sorrisos

Aprendendo a lidar com perdas

lidar-com-perdas

Meu pai sempre diz que estamos nessa vida apenas de passagem e que um dia todos nós iremos embora. Nós sabemos disso desde o primeiro instante em que vivemos, mas muitas vezes não conseguimos lidar com perdas. Falar sobre isso vira um tabu e afinal, quem é que gosta de falar sobre a morte? Algumas pessoas, como eu, aprendem na pele e muito cedo o que é perder alguém que se ama muito. Crianças precisam aprender a lidar com isso, mesmo que seja extremamente cruel.

Não é algo que eu escolhi passar quando tinha oito anos e a minha madrinha, vulgo segunda mãe, faleceu na madrugada de um sábado. Não foi fácil curar. Quem já perdeu alguém sabe que nesses casos, o tempo não cura totalmente. Ele somente ameniza a dor. Há dias em que doerá mais e outros que doerá menos. As memórias podem aparecer e também sumir depois de longos anos convivendo com a perda. No começo é difícil demais e continua difícil depois, a única diferença é que a vida vai te ensinando a lidar com perdas. Ensinando que, apesar de tudo, você está vivo e precisa continuar. Você mesmo entende quando a ferida não dói tanto.

Já passei por isso uma vez e atualmente passei novamente. Nas duas situações, eu recebi apoio até mesmo de pessoas que não esperava, e posso afirmar que esse apoio faz toda a diferença. Faz com que você aos poucos tenha vontade de seguir em frente. Um abraço, palavras de consolo e o simples fato de quem tem alguém querendo o seu bem e que estará do seu lado te ajudando é inspirador. Muitas vezes a dor é tamanha e você talvez perceberá que precisará de ajuda para superar. Não tenha vergonha e nem medo, reconhecer que precisa de ajuda é o primeiro passo para tentar melhorar a situação.

Como já mencionei, recentemente e de surpresa, novamente eu tive que lidar com esse sentimento, de perder alguém que eu amava. Toda aquela avalanche de sentimentos voltou. Aquela pergunta que mesmo sabendo que não há resposta, insistimos em fazer: por quê? Nós queremos um motivo para que o coração comporte a dor. Para conseguirmos suportar. Todo mundo diz que não há palavras que confortem em momentos assim. Porque é verdade, só quem passa entende a agonia, o nó na garganta e a dor no peito, aquele sentimento de saudade e de angústia. De saber que a pessoa nunca mais voltará.

A vida é feita de instantes e o nosso amanhã é incerto. O tempo para quem perdeu alguém que ama é cinza por um longo tempo, mas a tempestade ameniza. Eu tento tirar uma lição de tudo que acontece na minha vida – acredito naquela máxima que tudo tem um motivo – e, da primeira perda que eu tive eu já aprendi o seguinte: é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. A música clichê, porém sábia, de Legião Urbana diz muito sobre como lidar com perdas. Nas duas vezes eu fiquei com o sentimento de ‘’e se?’’ esse sentimento é horrível, só quem passa por ele entende.

Não temos como prever o amanhã e sabemos que estamos nesse mundo apenas de passagem, então mesmo com coração magoado e ainda em pedaços, eu afirmo: não vá dormir e nem saia de casa brigado com quem ama. Não deixe o orgulho consumir a sua capacidade de demonstrar afeto hoje. Abrace, beije e ame hoje. Não deixe para amanhã. Valorize e mostre para quem você ama, pai, mãe, irmã, amigo ou namorado o quanto eles são importantes. Faça isso constantemente e viva mais leve. E sobre essa dor? Como lidar com perdas? Ela é uma marca e ficará na sua história para sempre, é claro, mas ameniza a forma como ela machuca e restarão as boas lembranças.

Eu não costumo postar duas vezes na semana, mas esse foi meu desabafo em forma de texto. Para quem já sentiu essa dor fica aqui o meu abraço virtual e minhas sinceras intenções que esse texto ajude de alguma forma.

Acompanhe a mim e o blog nas redes sociais
Como adquiri o hábito de fazer exercícios 5 vezes na semana?
Você bagunçou algumas certezas
Eu conheci: Curitiba e Morretes
24 comentários
  • Mary

    É uma insanidade. A humanidade é tão antiga, tão evoluída e ainda não encontrou uma forma de nos ajudar a vencer essa inenarrável dor da perda. Só quem já sentiu sabe o que é. E só quem já sentiu sabe que ela não passa nunca, talvez só quando nos nos tornamos a perda de alguém. :'(

    Responder
    • Thais

      É exatamente isso, Mary. Nós podemos aprender a lidar, a seguir em frente, a não deixar as coisas pararem, fazer doer um pouco menos com o passar dos anos. Mas superar totalmente? Esquecer? Jamais… Responder

  • Bárbara Fróis Borges

    Thais fiquei sem palavras para o seu texto! Maravilhoso e concordo plenamente com você em tudo. Nada pode amenizar a dor de uma perda, nada faz com que esse sofrimento seja apagado de nossas vidas. E é algo que só o tempo ameniza. Passei duas vezes por isso e sei o quanto dói, o quanto a gente fica vulnerável e o quanto vemos que a vida é uma caixinha de surpresas, que não temos controle de nada em nossas vidas. Lindo seu desabafo e com certeza irá ajudar muitas pessoas sim! Fica bem 😉

    Beijos

    Responder
    • Thais

      Oi, Bárbara! Eu fico feliz que tenha gostado do texto. É um sentimento complicado, mas nele resolvi colocar meus sentimentos e tentar ajudar pessoas que estejam passando pelo mesmo. Você sabe o quanto dói. É exatamente essa sensação: uma caixinha de surpresa. Espero de verdade que meu texto possa ajudar.
      Obrigada pelo carinho. <3
      Um beijo!

      Responder
  • Jaíne Gonçalves

    Realmente é complicado demais lidar com perdas. Eu já perdi minhas avós, meu avô paterno e muitas outras pessoas queridas mas toda vez sempre é algo diferente. Sempre uma nova dor, uma pontada a mais no peito sabe. Mas uma vez me deram um conselho que levo pra vida: a pessoa que você ama gostaria de te ver assim triste?
    Então hoje passei a lembrar dos momentos bons, das risadas, das histórias e aprendi a lidar com a minha dor sabe. E outra, esse conselho no final do texto foi incrível, realmente não devemos deixar passar os momentos com as pessoas que amamos pois não sabemos do amanhã!
    Fica firme flor, seja forte <3

    Responder
    • Thais

      É complicado demais. Parece que sempre ficamos com a sensação que ocorreu no momento menos provável, sabe? É complicado. Por isso eu tento aplicar essa máxima, aproveitar ao máximo bons momentos com as pessoas que gosto. E sim… quando eu perdi minha madrinha com oito anos eu chorava todos os dias, mas conforme cresci eu entendi que ela ficaria mal em me ver assim.
      Obrigada pelo carinho.
      De verdade. <3

      Responder
  • Bruna WB

    É a coisa mais difícil do mundo, sem dúvidas. Eu me pego pensando nisso alguns dias. Ontem fez 13 anos que perdi minha vó e a dor ainda é tão grande! Mal consigo comemorar o dia do amigo porque sempre associo à data na qual eu perdi minha segunda mãe. Nós, que criamos laços fortes com algumas pessoas, nunca iremos saber realmente lidar com situações assim. Em uma das minhas séries preferidas, Six Feet Under, tem uma quote que fala que a morte existe justamente para tornar a vida importante. E realmente não temos outra opção a não ser aceitar de alguma maneira. Cabe a nós demonstrar todos os dias nosso carinho e amor pelas pessoas que nos fazem bem.
    Espero que você fique bem. <3
    Beijos,
    Bru

    Responder
    • Thais

      Me identifiquei com você, mês passado fez 14 anos que essa madrinha mencionada no texto faleceu. A dor ainda é grande, ela só amenizou, sabe? Eu consigo seguir em frente, mas ainda fico triste algumas vezes, principalmente nessas datas do falecimento. Essa série eu não conheço, mas gostei e concordo com a frase. Exatamente, resta fazermos isso. Espero que você fique bem também! Obrigada pelo carinho.
      Um beijo. <3

      Responder
  • Samira Oliveira

    Aí models eu falei que ia ajudar escrever, não falei?
    Eu perdi meu avô tendo 6 anos e entendo o que você passou com a sua mãe 2 ☺ éramos muito apegados e amigos sabe? E eu sempre soube que ele estava muivo doente e tentavá aproveitar ao máximo o tempo com ele. Até hoje eu choro em algumas missas que o padre fala dessas pessoas que amamos. E eu aprendi a conviver com esse buraco no peito, por ter que ser forte para a minha avó, e por acreditar no que o padre diz: eles estão vivos e estão esperando por nós. Mas confesso, ha dias que eu apenas gostaria de que a minha vez chegasse estão fim para eu poder abraca-lo mais uma vez. Mas eu sei que não é assim que ele gostaria. Tento então fazer tudo para que ele se sinta orgulhoso de onde quer que ele esteja. Parece meio bobo mas eu me sinto melhor assim ☺
    Seum texto ficou lindo; mozão

    Responder
    • Thais

      Falou e ajudou, Sami! Poxa, que barra! :~ É difícil passar por isso na infância, demoramos a entender por que as pessoas vão embora dessa forma. Eu, pelo menos, demorei bastante. No fim tentei imaginar – e imagino até hoje – que ela é uma estrela que brilha no céu me protegendo. Eu te entendo super bem… Mas temos que ser fortes por aqui, há tantas boas, né? Não é bobo! Fique bem também. Obrigada pelo elogio, bonita. <33

      Responder
  • Ju Faria

    Taís que texto mais lindo! Você me deixou completamente sem palavras.
    Só quem passa por uma perda ou fica a beira dela sabe o que é o desespero do tempo. Recentemente eu também passei por algo similar com meu pai, ele sofreu um infarto, mas graças a Deus sobreviveu e hoje está se recuperando. Mas, nessa situação eu pude aprender a valorizar todos os pequenos momentos, do bom dia a um piscar de olhos. Aprendi que somos cheios de falhas e que isso não é motivo para desistir do outro. Ver meu paizinho no hospital e ver tanta gente linda me mandando mensagens e querendo nosso bem me fez levantar a cabeça e dar a volta por cima. Seu texto me tocou profundamente. E hoje eu tento ao máximo aproveitar todos os momentos que eu posso com minha família, com meus amigos e até mesmo com os desconhecidos.
    Você citou Legião e eu me lembrei de uma música que me tocou muito durante o tempo que estive com meu pai no hospital: "O mundo precisa saber a verdade, passado não volta, futuro não temos e hoje não acabou. Por isso, ame amais, abrace mais. Pois não sabemos quanto tempo temos para respirar. Fale mais, ouça mais. Vale a pena lembrar que a vida é curta demais!" Linda né?
    Parabéns pelo texto, você escreve muito bem!!!
    Beijossss!!! Te adoroooooo, sou fã!!!

    Responder
    • Thais

      É… é estranho pensar que num momento estão conosco e no outro podem não estar, não é mesmo? É essa a sensação que me dá. Estranho mesmo. Por isso sempre tento ao máximo aproveitar como você mesma disse, com família, amigos e até desconhecidos. Que barra isso do seu pai, bonita! Espero que ele fique super bem agora <3
      Lindo o trecho que você trouxe, de verdade! Muita luz pra nós, viu?
      E obrigada pelo elogio, me enche de alegria ler isso logo de manhã! Lindona! Adoro sua presença aqui no meu cantinho. Um beijo ♥

      Responder
  • Kaila Garcia

    Nossa, como é difícil lidar com isso, como é complicado lidar com a perda de alguém que a gente ama tanto. Seu texto é maravilhoso!

    http://www.kailagarcia.com

    Responder
    • Thais

      É muito complicado, Kaila. Mas a gente aprende aos pouquinhos…
      Fico feliz que gostou!

      Responder
  • Danielle S.

    Thais, primeiro eu quero deixar meu abraço virtual aqui para você e dizer que se precisar conversar com alguém, pode vir falar comigo 🙂
    Sei o que é perder alguém que a gente ama, é triste, dói, você chora, você fica se perguntando o por quê… Exatamente como você disse no seu texto. Mas, assim como você também disse, com o tempo você vai se acostumando com aquele sentimento, vai conseguindo viver com o que aconteceu. Depois o que sobra é saudade e muito amor pelas lembranças. Pensa que a pessoa que se foi não gostaria de te ver triste, pense nos momentos bons que tiveram juntas. <3
    Espero que você fique bem logo, viu? Muita força!!

    Beijo! ♥

    Responder
    • Thais

      Oi, Dani! Queria dizer que aceito seu abraço virtual. <3 É, exatamente isso mesmo! Aos pouquinhos diminui, num dia dói mais, no outro menos... O que não dá é pra desanimar, né? Eu fico feliz pelo seu carinho, adoro seus comentários aqui no blog.

      Obrigada, um beijo <3

      Responder
  • Juliana

    Eu já perdi a pessoa mais importante na minha vida… isso não facilitou em nada poder falar sobre perdas, não aprendi a lidar, não cresci, apenas fiquei mais dura com os sofrimentos.
    Seu texto está incrível! Parabéns!
    Escrever ajuda sempre!

    Responder
    • Thais

      Oi Juliana, vou te agradecer pelo comentário e te desejar um abraço bem apertado <3 Na verdade não há uma maneira ''x'' para lidar, não é? A única certeza é que precisamos seguir em frente e tentarmos levar apenas as boas lembranças...
      Fico feliz pelo elogio, muito obrigada! Desabafar em forma de palavras sempre me ajuda mesmo! <3

      Responder
  • Claris Ribeiro

    Já perdi muitas pessoas importantes e queridas em minha vida e hoje sinto que já me acostumei com essa perda, claro que me sinto muito triste, mas já consigo superar mais fácil que outras pessoas. Amei muito esse texto e vou indicar para várias pessoas!
    Adorei o blog! Beijos :*

    Responder
    • Thais

      Eu posso entender, Claris. Porém lamento que tenha aprendido dessa forma tão difícil… E que alegria saber que gostou. Indique pra quantas pessoas quiserem, meu intuito foi desabafar e ajudar quem já passou ou passa por isso.
      Seja muito bem-vinda por aqui e obrigada pelo carinho! Volte sempre, sim?
      Um beijo.

      Responder
  • Victória Dantas

    Se eu estou emocionada? Sim! Se eu estou quase chorando? Sim! Esse desabafo me tocou muito, porque vou ser sincera não sei lidar muito bem com perdas, até as mais simples, como quando alguém que a gente ama muda de cidade ou decide que não nos quer mais por perto. Ano passado eu perdi alguém que foi muito especial, ele morreu sem que eu pudesse vê-lo uma última vez e já fazia mais de 2 anos que a gente não se via, mas doeu. Quando eu descobri meu coração se partiu em questão de segundos, chorei um bocadinho sim, a alma precisava de alívio. Meu irmão não entendeu muito bem porquê eu chorei tanto e me senti meio sem chão por alguém que eu havia "perdido o contato" a um bom tempo, mas é que no fundo só eu sabia o quanto aquele garoto era especial. Deixo aqui meu abraço e condolências, desejando que essa dor amenize o mais rápido possível. <3

    Responder
    • Thais

      Oi Victória… Que bom saber que o desabafo te tocou e a fez refletir sobre perdas. Lidar totalmente acredito que ninguém sabe, mas precisamos aprender a lidar com elas no sentido de seguir em frente, não é? Eu entendo sua dor. E também te deixo meu abraço em condolências. Pense que agora ele está num lugar especial, te protegendo e zelando por ti. Eu costumo imaginar que as pessoas que se foram são as estrelas que brilham lá no céu, aí quando eu me sinto triste olho pra ele e me sinto mais perto delas.
      Obrigada o carinho. Um beijo <3

      Responder
  • Bela

    Tenho um grande problema em lidar com a perda e estou trabalhando espiritualmente para entender a morte porque entro em choque, tipo ficar o dia todo sem me mover, chorando, só de imaginar a perda de alguém que amo muito.
    Adorei o texto <3
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    Responder
    • Thais

      É complicado, não é? Eu às vezes tenho recaídas também, a gente se pergunta muito os motivos de tal coisa acontecer. Tenho buscado ajuda espiritual e profissional (terapia) e tem me ajudado muito! Espero que consigas esse entendimento, viu?
      Fico feliz que tenha gostado! Um beijo <3

      Responder