Janela de Sorrisos

Resenha do livro Os 13 porquês

 <img src=“http://www.janeladesorrisos.com/os-13-porques/ ” title=“ Resenha: Os 13 porquês” alt=“Os 13 Porquês é um livro lançado em 2007 e ficou mais conhecido após a estréia de sua adaptação em série, coproduzida por Selena Gomez e exibida na Netflix.>

Os 13 Porquês foi escrito por Jay Asher em 2007. Aqui no Brasil ele foi lançado em 2009 pela editora Ática, e é o livro de estréia de Jay no mundo da literatura. Em 2011 ficou em primeiro lugar na lista de julho dos bests-sellers da New York Times, mas para muitos brasileiros, a história ficou mais conhecida após a estréia da adaptação em série, coproduzida por Selena Gomez e exibida na Netflix desde o dia 31 de março, que levou a internet à loucura e reacendeu o debate sobre temas como depressão e suicídio.

"Em Os 13 Porquês, o primeiro amor de Clay Jensen gravou suas últimas palavras em fitas cassete."

Os 13 Porquês conta a história de Hannah Baker, uma garota que cometeu suicídio e deixa fitas gravadas com os 13 motivos que a influenciou para tomar essa decisão. O livro é narrado por Clay Jensen, garoto que gostava de Hannah, mas nunca teve coragem para conversar isso abertamente com ela. Todas as pessoas que estavam nas fitas irão recebê-las e precisam escutá-las, uma por uma, e no fim repassá-las para a pessoa da próxima gravação. Mas é muito fácil, não é mesmo? É só dar um fim nas fitas. Não, pois ela cuidou de tudo com detalhes, e se as gravações não tomarem o rumo correto, ela tem alguém que garantirá que todas as histórias venham a público de uma maneira muito pior.

"Você não pode interromper o futuro, nem modificar o passado. O único jeito de descobrir este segredo é apertando o play."

 <img src=“http://www.janeladesorrisos.com/os-13-porques/ ” title=“ Resenha: Os 13 porquês” alt=“Os 13 Porquês é um livro lançado em 2007 e ficou mais conhecido após a estréia de sua adaptação em série, coproduzida por Selena Gomez e exibida na Netflix.>

Como alguém que assistiu a série e agora leu o livro, eu digo que ambos são muito bons na abordagem que fazem. No livro eu acabei me sentindo mais íntima do Clay e da Hannah, não sei bem dizer o porquê, fui sentindo aquela agonia junto com eles. O que contribuiu para isso foi o fato do autor optar por contar a história em meio a duas narrações diferentes acontecendo. Ou seja, você lê o que o Clay sente a medida que ouve as fitas, mas ao mesmo tempo entra na memória de Hanna e percorre o que aconteceu com ela.

Esse tipo de narração em Os 13 Porquês e até mesmo o fato das fitas serem ouvidas em uma noite, facilitou muito o andamento da história e até a fluidez da leitura, fazendo com que eu terminasse o livro em menos de dois dias. Não temos tanto contato e profundidade na relação de outros personagens no livro, eles são apresentados sim conforme a ordem das fitas, mas o foco está na narração dos porquês da Hannah.

“Vocês não sabem o que estava passando no resto da minha vida. Em casa. Nem mesmo na escola. Não sabem o que se passa na vida de ninguém, a não ser a de vocês. E quando estragam alguma parte da vida de uma pessoa, não estão estragando apenas aquela parte. Infelizmente, não dá para ser tão preciso ou seletivo. Quando você estraga uma parte da vida de alguém, você estraga a vida inteira da pessoa. Tudo… é afetado.” 

O autor teve a ideia do livro como ele mesmo diz, de trás para frente. Enquanto fazia um passeio em um museu com um tour narrado em fitas, surgiu a ideia do formato. Quanto ao tema, foi inspirado na história de uma parente próxima dele que também tentou suicídio aos 17 anos. Em uma pequena entrevista intitulada como "13 perguntas para Jay Asher", quando questionado o que diria para as pessoas que se identificassem com a Hannah, o escritor diz para essas pessoas pedirem ajuda e falarem sobre seus sentimentos, conseguirem a ajuda até profissional que Hanna não teve, para que possam voltar a ter esperança.

“É importante estarmos consciente do modo como tratamos os outros. Mesmo que alguém pareça ignorar um comentário casual ou não se deixar afetar por um boato, é impossível saber tudo o que se passa na vida daquela pessoa e o quanto podemos ampliar sua dor.”

Durante a narração de Os 13 Porquês temos vários gatilhos e temas complicados, como bullying, estupro, machismo e invasão de privacidade. Veja bem, eu não indicaria esse livro para quem tem problemas com depressão ou pensamentos suicidas sem que a pessoa leia acompanhada de um profissional da área. Mas entendo que o autor escreveu essa história para fazer com quem não passa por isso, veja que não é frescura, que "não é só uma piada" e muito menos só uma fase.

Como alguém que já perdeu uma pessoa muito querida para o suicídio, posso dizer que não foi uma leitura fácil, porém a história me trouxe ainda mais o aprendizado de que, mesmo que Hannah tenha decidido por si só colocar um fim a sua vida, pequenas situações que se juntaram dia a após dia, situações que muitos julgam bobas, que muito de nós já cometemos ou passamos por isso na época de colégio, contribuíram para isso.

 <img src=“http://www.janeladesorrisos.com/os-13-porques/ ” title=“ Resenha: Os 13 porquês” alt=“Os 13 Porquês é um livro lançado em 2007 e ficou mais conhecido após a estréia de sua adaptação em série, coproduzida por Selena Gomez e exibida na Netflix.>

Por fim, eu gostei muito da abordagem do livro e que me surpreendeu de certa forma. Para mim, a mensagem que a história passa é que precisamos nos importar mais. Com essas pequenas coisas, tentar olhar ao nosso redor e entender que as pessoas não sentem todas da mesma maneira. O que para mim não é nada, pode ser o tudo na vida da outra pessoa. Assim como as pessoas não sentem da mesma maneira, o livro menciona que nós nunca sabemos o que se passa verdadeiramente na vida de alguém. E eu só tenho a concordar. É como diz uma a frase: "Todos estão enfrentando batalhas que você não sabe a respeito. Seja gentil. Sempre".

Título: Os 13 Porquês  (leia a sinopse aqui
Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Gênero: Suspense e mistério
Páginas: 256
Ano: 2009

Ah, vocês podem conferir outras resenhas já feitas aqui no JDS clicando aqui.

Acompanhe a mim e o blog nas redes sociais!

Leve-me com você – Resenha
A Guerra que Me Ensinou a Viver – Resenha
Minha Vida Fora dos Trilhos – Resenha
8 comentários
  • Ana Mastrochirico

    Não li o livro mas to doida pra ver a série de tanto que as pessoas estão falando.
    E acho super pertinente falar sobre o suicídio, a midia tem que parar de mascarar esse assunto pq ele é muito importante e precisa mesmo de visibilidade.

    Responder
    • Thais

      É pertinente sim falar sobre isso, Ana. Acontece mais do que a gente imagina. :~ A série é muito boa, o livro também, eu só não aconselho ver se você não está bem emocionalmente, aí é melhor deixar pra quando estiver melhor, porque a carga emocional da história é bem tensa.
      Obrigada pela visita, um beijo!

      Responder
  • Dai Castro

    Eu vi a série recentemente e ainda estou me recuperando. Mexeu muito comigo ainda mais por ter assistido em apenas dois dias e em um período em que não estava animada para fazer mais nada… sabe?
    Intensificou ainda mais a crise pela qual estava passando e como você disse, a trama tem alguns gatilhos assim como a série. Tenho curiosidade para conhecer o livro, mas receio que não seja o melhor momento…
    Colorindo Nuvens

    Responder
    • Thais

      Oi, Dai. Eu vi a série em quatro dias, justamete porque precisei de um tempo para me recuperar entre um episódio e outro. Mas é justamente isso, não recomendo assistir se a pessoa não estiver em uma "vibe" emocional boa. E isso vale pro livro também.
      Caso um dia você leia, espero que gostei!

      Um beijo <3

      Responder
  • Rebeca Stiago

    Oii Thais, tudo bem? Eu tava com o livro dos 13 porques na minha lista há tempos pra ler.. então fiquei sabendo que ia rolar o seriado. Tentei ler o livro antes de assistir, mas esse seriado foi um BUM. Todo mundo assistindo e comentando.. então eu não resisti. E comecei a fazer maratona. Acho importante temas assim serem trazidos à tona e pra discussão. Beijos

    http://www.verdadeescrita.com/eu-sou-minha-2/

    Responder
    • Thais

      Oi, Rebeca! Tudo sim e com você? Realmente, o seriado foi um verdadeiro BUM. Tanto que eu também assisti antes de ler o livro, acabei não resistindo assim como você. Acho importante abordarmos mesmo esses temas e gostei muito de como o livro se desenrola, o autor nos mostra mais pontos de vista da Hanna e do Clay que na série não são explorados (porque a série foca em dar voz também as pessoas das fitas).

      Um beijo!

      Responder
  • Clayci

    Quando comecei a ler este livro há alguns aninhos atrás, não imagina o quanto ele me abalaria. Eu terminei em pedaços! Porém como a série foi lançada agora não me lembrava dos detalhes da história e fiquei em pedaços pela segunda vez =/

    Responder
    • Thais

      Clay, fiquei em pedaços também! Apesar da série ser mais forte em alguns aspectos, a carga emocional da história em si é gigante. :/

      Responder